"Canhões fazem parte do mundo das armas

que contam histórias de guerras.
A coleção de canhões do Museu Histórico Nacional sintetiza a história militar do Brasil, desde o período colonial até a Primeira Guerra Mundial.
Assim, define um modo de interpretar a construção
da sociedade brasileira. 
A instalação Entre os Cheiros da História é uma
criação da artista contemporânea Josely Carvalho
que apresenta canhões como objetos da história
pela experiência sensorial do olfato. Para a artista,
os cheiros guardam “a memória de uma vivência”, estabelecendo um diálogo entre passado e presente. Propõe, portanto, um modo diferente de abordar
a história pelo sabor do ar.
A exposição de cheiros trata a respiração como
um ato de pensamento crítico ao alcance de
qualquer pessoa. A obra artística de Josely Carvalho
é conhecida por debater a condição feminina.
Seu interesse pelos canhões tem  justamente 
a intenção de colocar em questão as leituras da história dominadas pelo ponto de vista masculino.
Os canhões de época de fina escultura e rica metalurgia são monumentos que celebram
os feitos militares de homens guerreiros, mas
ofuscam a lembrança da violência e do que
ocorre com mulheres e crianças na guerra.
Ao explorar o olfato, a artista transforma a boca
do canhão em túnel do tempo. A arte de cheirar conduz, então, a histórias sensíveis do Brasil."

Paulo Knauss,
Professor do Departamento de História da UFF
(ex diretor do Museu Histórico Nacional)

Artista: Josely Carvalho
Assistente da artista: Nina Bruno Malta
Produção: Tania Sarquis - Estudio Sauá
Design: Tata Rodrigues

Fotografias: Pat Kilgore

1 Delirium
006920
7 Oceano
015912
18 Abricó de Macaco
006972
24 Persistência 015897
3 Mata 015916
16 Medo 015904
21 Poeira 015900
26 Boca de Fogo 
015895
31 Ausência 015890
33 Invasão 015888
37 Ilusão 015884
41 Lacrimae 015495
44 Incenso 015492
45 Oceano 
015493
6 Afeto 015913
17 Delirium 015903
23 Morte 015898
28 Anoxia 015893
39 Invasão 015881
46 Morte 016234