"Canhões fazem parte do mundo das armas

que contam histórias de guerras.
A coleção de canhões do Museu Histórico Nacional sintetiza a história militar do Brasil, desde o
período colonial até a Primeira Guerra Mundial.
Assim, define um modo de interpretar
a construção da sociedade brasileira. 
A instalação Entre os Cheiros da História é uma
criação da artista contemporânea Josely Carvalho
que apresenta canhões como objetos da história
pela experiência sensorial do olfato. Para a artista,
os cheiros guardam “a memória de uma vivência”, estabelecendo um diálogo entre passado e presente. Propõe, portanto, um modo diferente de abordar
a história pelo sabor do ar.
A exposição de cheiros trata a respiração como
um ato de pensamento crítico ao alcance de
qualquer pessoa. A obra artística de Josely Carvalho
é conhecida por debater a condição feminina.
Seu interesse pelos canhões tem  justamente 
a intenção de colocar em questão as leituras da história dominadas pelo ponto de vista masculino.
Os canhões de época de fina escultura e rica metalurgia são monumentos que celebram
os feitos militares de homens guerreiros, mas
ofuscam a lembrança da violência e do que
ocorre com mulheres e crianças na guerra.
Ao explorar o olfato, a artista transforma a boca
do canhão em túnel do tempo. A arte de cheirar conduz, então, a histórias sensíveis do Brasil."

Paulo Knauss,
Professor do Departamento de História da UFF
(ex diretor do Museu Histórico Nacional)

Artista: Josely Carvalho
Assistente da artista: Nina Bruno Malta
Produção: Tania Sarquis - Estudio Sauá
Design: Tata Rodrigues

Fotografias: Pat Kilgore

1 Delirium
006920
7 Oceano
015912
18 Abricó de Macaco
006972
24 Persistência 015897
3 Mata 015916
16 Medo 015904
21 Poeira 015900
26 Boca de Fogo 
015895
6 Afeto 015913
17 Delirium 015903
23 Morte 015898
28 Anoxia 015893