arte final_logo expo_cores.jpg
MuseuHist¢ricoNacional∏PatKilgore2020
icone som_edited.jpg
00:00 / 04:14
MuseuHist¢ricoNacional∏PatKilgore2020
MuseuHist¢ricoNacional∏PatKilgore2020

ANOXIA

Dados históricos: canhão 28 nº SIGA 015893

  A colubrina nº 28 equipou o Forte São Francisco Xavier de Tabatinga que ficava às margens do Rio Solimões no estado do Amazonas, Brasil. O forte foi erguido em 1776, um ano após a construção do Forte Real Príncipe da Beira,
e fez parte de um projeto de ocupação e domínio do
território amazônico. 

O Forte de Tabatinga posicionava-se dominante sobre o rio porque marcava o limite ocidental do controle da Coroa portuguesa na fronteira com o Peru e com a Colômbia. Contudo, a própria geografia o levou à ruína pela erosão fluvial que agiu sobre as margens onde se encontrava, destruindo-o por completo em 1932. 

  Desde essa época é possível notar indícios de desmatamento e exploração descomedida da floresta amazônica. ​Em 2022, a floresta sofreu queimadas que superaram a média dos últimos 15 anos, só em junho foram registrados mais de 2430 focos de incêndio. As razões envolvem o extrativismo madeireiro e abertura de campos para o agronegócio e pecuária, muitas vezes se dando de forma ilegal.


  O desmatamento é o grande motivo do alastramento dos incêndios e aumentou principalmente no período de pandemia no qual as atenções da mídia estavam voltadas para as notícias relativas ao vírus. Em reunião ministerial em abril de 2020, o então ministro do meio ambiente Ricardo Salles declarou - "estamos nesse momento de tranquilidade no aspecto de cobertura de imprensa, porque só fala de Covid, e ir passando a boiada...".

  Nesse contexto terras indígenas da Amazônia são atingidas por fogo e fumaça. Os Karipuna são uma comunidade de poucos indivíduos de Rondônia e vivem em constante ameaça por seu território fazer fronteira com a área de atuação de madeireiros e grileiros. Segundo o Ministério Público, em 2019, os Karipuna corriam risco de genocídio. Ainda hoje a comunidade luta para preservar sua existência e de seus parentes que ainda vivem em isolamento.

  A Noruega, principal país fornecedor de recursos para a floresta Amazônica suspendeu seu apoio em 2019, inicio do governo atual. Em 31 de outubro de 2022 anunciou que retomará a ajuda financeira após a posse do novo governo.

Curiosidade: Colubrina é um tipo de canhão que servia como artilharia naval à longa distância. O canhão 31 com cheiro Ausência também equipou o Forte de Tabatinga.

Fragrância: Anoxia PB00495C

  Um cheiro inquietante do desconhecido; daquilo que se aproxima sem que percebamos suas consequências.
 

  Odor da bactéria usado algumas vezes como arma de guerra e que podem causar doenças pulmonares provocando dispneia. Também na composição, a ansiedade pela possível falta de ar, sintoma do Covid19. Para que a bactéria seja sentida pelo nariz foi utilizado o tiazol, um composto heterocíclico que contém tanto enxofre como nitrogênio, sendo que o termo 'tiazol' também se refere a uma grande família de derivados.            

 

  Respiramos uma combinação de notas sulfúricas e ésteres em concentrações quase imperceptíveis no nosso dia a dia. Porém esses mesmos ingredientes super-dosados podem levar à falta de oxigênio conhecida
como anoxia.