BOCA DE FOGO

                           História canhão 26 | 015895

  Esse canhão espanhol veio provavelmente durante o processo
de colonização do que viria a ser o futuro Paraguai. Posteriormente, foi capturado pelas forças armadas brasileiras
na Guerra do Paraguai que durou de 1865 a 1870.

 

  Canhões também podem ser chamados de "Boca de Fogo"
que é um termo genérico para artilharias que disparam granadas através de um tubo. Dentro do canhão uma peça chamada martelo bate numa munição cheia de pólvora causando uma explosão
que lança um projétil em direção ao alvo.


  Desde sua criação o princípio de funcionamento permanece o mesmo ainda sendo utilizado hoje mais modernizado por forças armadas do mundo todo. A parte interna do canhão é nomeada
de "Alma" que pode ser lisa ou raiada, ou seja, com veios parecidos com listras que influenciam no lançamento do projétil.

 

Conforme o tipo de tiro e o alcance, as bocas de fogo
classificam-se em:

● Morteiros: destinados a fazer fogo de curto alcance em tiro curvo

● Peças ou Canhões: destinados a fazer fogo, de qualquer alcance, em tiro tenso

●  Obuseiros ou Obuses: destinados a fazer fogo de longo
alcance em tiro curvo

● Colubrina: destinada como artilharia naval à longa distância

● Caronada: destinada a disparar balas rasas e não metralha

cheiro: Boca de Fogo

Devido ao adiamento da instalação a descrição
desse cheiro ficou em aberto. Essa condição foi
incorporada na obra que agora se abre ao público.
A construção desse cheiro será interativa e coletiva. Considerando nosso reduzido vocabulário olfativo, tente descrever como você imagina o Cheiro da Boca de Fogo. Acesse memórias e histórias.

Busque palavras que possam refletir este cheiro.
Se precisar, invente novas palavras ou empreste
do vocabulário usado nos outros sentidos.
Você poderá cheirar sua participação na criação
do cheiro Boca de Fogo quando a instalação
for aberta em 2021.


Responda aqui

Curiosidade: Passarinhos também possuem canhões em suas penas. É a parte de onde saem as plumas e fica presa à pele. Antigamente essa parte do passarinho era utilizada e conhecida como caneta-tinteiro ou bico-de-pena.